Você se imagina indo ao supermercado fazer as compras do mês somente com seu celular no bolso? Essa pode ser uma realidade com o PIX, a novidade que está deixando muita gente animada. Expectativas foram criadas: conexão entre pessoas, comerciantes, fintechs, bancos tradicionais e digitais por meio de um sistema unificado para transferir de forma rápida e barata!

No último mês, o Banco Central do Brasil (BC) lançou a marca do que será o pagamento instantâneo brasileiro: PIX. De maneira bem simples, quando você realizar uma transferência ou pagamento, o dinheiro cairá na mesma hora na conta de quem vai receber, mesmo que isso aconteça fora do horário comercial e em qualquer dia do ano!

Essa novidade promete oferecer praticidade, transparência e segurança ao pagador e ao recebedor, e terá lançamento em novembro de 2020. Todas as instituições financeiras com mais de 500 mil contas ativas deverão, obrigatoriamente, oferecer o serviço, isto é, cerca de 90% das contas no Brasil. As outras instituições também poderão requerer autorização para oferecer o novo recurso.

Em termos técnicos, os pagamentos instantâneos são as transferências que ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários. Assim, são transferências nas quais a ordem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o usuário recebedor acontecem em poucos segundos. Além disso, o serviço acontece durante 24 horas por dia, 07 dias por semana e em todos os dias do ano.

Para estimular a competição de mercado, o BC não vai restringir a cobrança do novo serviço com o intuito de reduzir custos e melhorar a qualidade, podendo intervir se houver abuso.

Quais são os custos por transação?

Ainda não se sabe exatamente quanto será cobrado por transação no PIX, mas o Banco Central afirmou que o valor será baixo. Eles destacam que não vão limitar a cobrança pelo serviço com a intenção de gerar uma competição entre as instituições financeiras e ter um serviço de maior qualidade com custo baixo. 

Quem poderá usar o PIX?

Segundo o BC essas transações poderão ser feitas:

  • Entre pessoas, como transferir um dinheiro para um amigo;
  • Entre pessoas e comércios, por exemplo pagar a conta em um restaurante;
  • Entre estabelecimentos, para pagamento de fornecedores ou parceiros;
  • Para entes governamentais, como pagamento de taxas e impostos ou, futuramente, receber salários e benefícios sociais.

Quais são os tipos de transferência?

Ao selecionar a opção “PIX” no aplicativo da sua instituição financeira, o pagador poderá transferir inserindo somente o número de telefone do recebedor, podendo escolher também as opções de e-mail ou CPF/CNPJ. Depois, basta inserir o valor e a senha para confirmar o pagamento. A promessa é que o processo seja ainda mais rápido ao realizar pagamentos com informações simples.

Ainda, existirão duas opções de pagamento por QR Code: o estático, que só precisa ser gerado uma vez e é reutilizado a cada compra; e o dinâmico, gerado uma vez e descartado após o pagamento. O primeiro servindo para, por exemplo, um comerciante ter um código em seu caixa para que o cliente escaneie no aplicativo do banco ou instituição de pagamento e realize a operação rapidamente. Já o segundo caso pode ser utilizado para cobrar de um amigo uma compra dividida. 

A leitura do código também promete ser rápida e prática, sendo capaz de conter informações como valor, vencimento, juros e/ou desconto. E veja que legal: lojas online também poderão oferecer no próprio site a opção de pagamento por PIX.

Vale ressaltar que, na primeira fase, o Governo utilizará o PIX apenas como recebedor. Entretanto, a intenção é que futuramente seja utilizado para realizar pagamentos como o do Bolsa Família ou para a restituição do imposto de renda.

Quais são os benefícios?

Usabilidade

Vamos retomar à situação de poder ir até o supermercado só com o celular no bolso. Podemos combinar que essa já é uma grande vantagem! A facilidade de precisar apenas do dispositivo digital e dispensar uso de cartão, folha de cheque, cédulas ou maquininhas seria maravilhoso, não acha?

Você não precisa de TODOS os dados para transferir

Que tal poder escolher um número da sua lista de contatos para transferir um valor? Usar somente um dado, como o número de telefone, para pagar por um serviço, faz com que a transferência seja rápida e simples.

Disponibilização imediata do dinheiro

Ótimo para quem paga e para quem recebe. Além disso, o PIX reduz as dificuldades relacionadas ao uso de cédulas. Para o comerciante isso pode significar, por exemplo, uma redução na necessidade de crédito, e facilidade ao não precisar se preocupar com troco, além do checkout mais rápido do caixa.

Baixo custo

Ao não limitar na cobrança pelo serviço, o Banco Central estimula a competição entre as prestadoras de serviços de pagamento, o que provavelmente trará uma nova forma de pagamento de alta qualidade e baixo custo.

24 horas por dia, 7 dias por semana e todos os dias do ano

Por fim e não menos importante, não poderia ficar de fora o que pode ser considerado o maior benefício do pagamento instantâneo: a possibilidade de transferir seu dinheiro a qualquer hora e em qualquer dia do ano.

E como ficam os meios de pagamento que já existem?

Depois de saber os detalhes sobre o PIX pode ter passado pela sua cabeça a mesma dúvida de muitos: será o fim do DOC e TED? 

Ainda não é possível afirmar se esses dois serviços cairão em desuso, mas acredita-se que, assim como o cheque se tornou menos popular nos últimos anos, algumas outras formas de pagamento também poderão sumir aos poucos. O PIX também poderá ser aplicado em casos onde pagamentos seriam realizados com dinheiro, cartão de débito ou boleto. Já os cartões de crédito devem se manter intactos, pois são utilizados quando o pagador não quer ou não pode pagar no momento da compra, e sim 30 dias depois, ou quando quer fazer um parcelamento.

De uma coisa nós temos certeza: o PIX chega para unificar as transações do brasileiro!

Em breve o RecebeAqui terá novidades, então, crie agora mesmo sua conta!

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar...

Postar