Meios de Pagamento

PIX: Vantagens e cuidados com a segurança

Posted On
Postado por Fabiola Coelho

Provavelmente você já leu ou ouviu falar bastante sobre o PIX, então este texto não vai te explicar o que é, nem como cadastrar.  

O que queremos trazer de informação é: em que aspectos ele vai afetar o comércio online e as transações digitais. Será o fim do link de pagamento? Acabou o tempo dos boletos e a era dos cartões

Outra questão que queremos abordar com esse artigo é sobre os principais cuidados a serem tomados ao utilizar a nova tecnologia. Siga a leitura para entender melhor sobre o assunto. 

Para início de conversa, é preciso entender as diferenças existentes entre o PIX e os outros meios de pagamento. A partir desse entendimento, fica mais fácil analisar as mudanças que essa novidade pode trazer para o comércio virtual.  

Então, para ficar mais fácil, listamos de forma objetiva o impacto do PIX sobre cada meio de pagamento. 

  1. PIX x Boleto  

O PIX chegou com algumas vantagens frente ao boleto. O pagamento realizado pelo novo formato é imediato, ao contrário do outro, que demora até 3 dias úteis para ser validado. 

Portanto, a utilização do PIX reflete em mais conversão para quem vende e mais agilidade para quem paga. 

Isso significa que o PIX vai acabar com o boleto? 

Não completamente, mas em grande parte. É bem possível que a maioria das pessoas substitua o meio de pagamento, já que o PIX facilita o processo. Mas aquela minoria que ainda prefere usar dinheiro em espécie, deve continuar pagando suas contas via boleto em lotéricas ou agências.  

  1. PIX x Link de pagamento 

As duas opções são digitais, portanto, a praticidade está presente em ambas as tecnologias. A principal diferença entre elas é o fato de que o PIX não permite parcelamentos, apenas pagamentos à vista.  

PIX vai substituir o link de pagamento? 

De forma alguma. E a causa é exatamente essa diferença que citamos acima. A possibilidade de dividir suas compras só será possível através do link de pagamento ou do pagamento direto por cartão de crédito, o que nos direciona para o próximo tópico. 

  1. PIX x Cartão de Crédito 

Como visto no item anterior, não dá para pagar em parcelas um débito pelo PIX, o que coloca o cartão de crédito em vantagem, e já responde à pergunta: 

O PIX vai diminuir o uso de cartão de crédito? 

Não, pois sempre vai existir a necessidade de se dividir um pagamento. 

  1. PIX x Cartão de Débito ou Dinheiro 

O cartão de débito é usado principalmente em transações físicas, apesar de ser aceito em alguns meios digitais. Enquanto o dinheiro em espécie, obviamente, só pode ser usado fisicamente. 

O PIX surge permitindo que o pagamento seja efetuado em qualquer uma das circunstâncias, uma vez que basta possuir uma chave cadastrada e um dispositivo móvel. 

Será o fim do cartão de débito e do dinheiro?  

É provável que a substituição pelo PIX cresça, a medida em que as pessoas se habituem à nova modalidade. A desconfiança gerada, a princípio, naqueles mais preocupados com a segurança da informação, tende a ser eliminada com o tempo.  

Pense que, se você não precisa mais andar com cartões ou dinheiro físico para realizar pagamentos à vista, será muito mais prático e seguro ter apenas o celular em mãos para realizar transações.  

  1. PIX x Transferências bancárias 

O PIX nada mais é que uma transferência bancária. Porém, as TEDs e DOCs tem um custo relativamente alto (na maioria dos bancos) e um prazo para cair na conta.  

O PIX é gratuito para pessoas físicas e MEIs, mas mesmo para pessoas jurídicas, o custo é baixo, e, além disso, os valores são transferidos de forma imediata, sem restrição de data e horário.   

TED E DOC vão deixar de ser usadas? 

Provavelmente sim. Quem vai preferir pagar por uma transferência e ter que aguardar um ou mais dias até o crédito estar disponível?  

Em resumo, no quadro abaixo estão as principais diferenças entre os sistemas de pagamentos: 

Agora que já comparamos o PIX com todos os outros meios de pagamentos, vamos avaliar o que ele vai trazer de mudança para os seus negócios e os riscos que podem existir. 

Preciso incluir o PIX como forma de pagamento em minhas vendas online? 

O PIX vem como uma opção a mais para intermediar as transações comerciais. Quem é comerciante sabe que, quanto mais formas de pagamento oferecer para o cliente, mais garantia tem de conseguir vender.  

Portanto, vale a pena inserir o PIX como meio de pagamento em seu negócio, porém, como um fator de escolha para o consumidor, sem privá-lo das outras modalidades já estabelecidas. 

No meio digital, o PIX faz ainda mais sentido, por facilitar o processo de finalização da compra e transmitir mais segurança aos envolvidos, uma vez que não exige o compartilhamento de muitos dados pessoais, apenas a chave cadastrada. 

Outra questão a ser analisada é em relação aos custos. As taxas cobradas para o vendedor utilizar o PIX são mais baixas ou mesmo nulas em alguns casos. 

Quais cuidados devo tomar ao usar o PIX? 

O novo sistema tem alto nível de segurança, pois está protegido pela criptografia e autenticação, já amplamente usadas em outros meios de pagamento. Mas, como em todos eles, é preciso ter cautela sempre, para evitar cair em golpes.  

A principal estratégia usada por criminosos é tentar enganar os usuários por meio dos artifícios da engenharia social.  

Engenharia social é a habilidade de conseguir acesso a informações confidenciais utilizando de persuasão e manipulação.  

As vítimas são atingidas por mensagens ou ligações falsas, se passando por instituições financeiras, como se pode ver no exemplo abaixo, identificado pela Kaspersky, especialista em softwares de segurança.

Portanto, apesar de ser considerado um sistema muito seguro, é preciso estar atento a alguns detalhes, que servem tanto para quem vai receber via PIX, como para quem vai pagar por ele.  

Ao cadastrar: 

  • O cadastro da chave não é obrigatório e sua realização é feita apenas nos canais oficiais das instituições financeiras como aplicativos, internet banking ou agências físicas. 
  • Os bancos não telefonam, nem enviam mensagens via SMSWhatsApp ou e-mail, solicitando dados pessoais, e muito menos são autorizados a cadastrar o PIX sem o consentimento do usuário. 
  • Para manter seus dados pessoais ainda mais seguros, você pode cadastrar o PIX por meio de um código gerado aleatoriamente, em vez de utilizar seu CPF, e-mail ou telefone. 

Ao utilizar: 

  • Confira o número da chave, para evitar que a transferência seja direcionada a um destino incorreto. Por se tratar de um sistema instantâneo, a transação é irreversível. 
  • Atenção a QR Codes suspeitos: desconfie se o direcionamento pedir pra abrir um link que não seja do aplicativo do banco, nem faça download de nenhum arquivo no aparelho.  
  • Cuidado ao usar a internet. Golpistas costumam reproduzir links e e-mails com layoutsURLs e domínios semelhantes aos usados pelas instituições. Por isso, atenção redobrada: não forneça nenhum dado, sem antes ter certeza de que o canal é oficial. 

Nesta matéria, leia mais sobre como os golpes costumam acontecer e de que outras formas você pode se precaver. 

Afinal, o PIX é bom ou ruim para mim e para minha empresa? 

O novo sistema de pagamentos é uma opção extra, com tecnologia moderna e prática para realizar transações financeiras. E ter diversidade de escolhas é sempre bom, portanto, a conclusão é sim positiva. 

Uma boa estratégia para o empresário é sempre oferecer soluções que agregam, e não limitam. Por isso, as outras modalidades de recebimentos devem ser mantidas, principalmente aquelas que permitem parcelamentos, como cartões de crédito e links de pagamentos. 

Sendo assim, o RecebeAqui continua trabalhando em melhorias para atender você com boas taxas e serviços, contribuindo para facilitar suas vendas. Se ainda não conhece o nosso link de pagamento, acesse o site e cadastre sua conta gratuitamente.

POSTS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

7 − seis =